Já faz um tempo desde aquela vez em que nos reunimos pra conversar na Praia Verde sobre esse tal de “movimento autônomo”. Desde que aí resolvemos nos chamar de Convergência de Grupos Autônomos (CGA) foram  atos, manifestações, exibições de filmes, caravanas, jornais. Foram incontáveis as reuniões, em mais contáveis salas, pátios, casas, espaços comunitários do DF.  Foram transmissores, projetores, sprays. Fomos uma convergência de pessoas sem grupos e fomos uma  reunião de delegadxs rotativxs. Fomos meio desaparecidxs. Fomos aparecidxs até demais.   Fomos muitxs, poucxs e mais ou menos. Fomos vários erros. Fomos um outro tanto de acertos. (fomos, mais que tudo, uma mistura dos dois).  Fomos um bocado de gente que passou, deu sua contribuição, e partiu (pelos mais

diversos motivos). Somos outro bocado de gente que resolveu ficar (pelos mais diversos motivos).

Nesses quase 7 anos (!), uma necessidade nos acompanhou. Essa necessidade que já teve  diferentes formas,tamanhos e localizações, era a nossa vontade de ter um espaço autônomo, aonde pudéssemos desenvolver as atividades, planejar as conspirações, compartilhar os saberes. Um espaço que pudesse ser referência de tudo o que acreditamos: autonomia, horizontalidade, independência, democracia direta, igualdade…

Essa necessidade, que já foi okupa (e aí vai um salve para a Casa das Pombas), e que, de tanto tempo que tá com a gente, já a chamamos de companheira, tá prestes a se despedir de nós. Pode parecer um pouco frio de nossa parte, mas a verdade é que não estamos nada tristes com isso. É que é graças ao esforço de muita gente que nos vemos, agora, na portinha de alugar a nossa sala.

Temos que confessar que as nossas esperanças para este espaço são muitas. Acreditamos que nele podemos nos organizar mais, conspirar mais, nos encontrar mais. Poderemos organizar nossos materiais e arquivos, colocando-os à disposição. Achamos que espaços como este são estruturas importantes para a movimentação autônoma no DF, e queremos nos juntar a outros locais que também cumprem essa função, como o Mutirõ em

Taguatinga. Acreditamos que lá outras ideias irão surgir, e queremos que essas ideias se transformem em ações. Que seja um lugar onde nos  deparemos com novos sonhos e com outras pessoas para compartilhá-los.

Enfim, queremos que este seja um espaço  de convergência.  Para que esse espaço funcione assim, como pensamos, você que tá aí lendo essa carta, tem  que tomar o espaço para si. Se você acredita na autonomia, na horizontalidade, no apartidarismo como princípios de organização política, essa sala também é para você. É que a ideia é que outros grupos e pessoas com essa proximidade  proponham atividades, usem a sala para fazer as reuniões, organizem eventos lá, ajudem a manter o espaço.

É  por tudo isso aí que agora, nesse dia 05 de Junho, daremos as boas vindas à nossa sala e a todo mundo que está dispostx a construí-la. A ideia desse evento é justamente fazer com que você se aproprie do espaço: ajudando a decorar a sala, fazendo stencils (vai ter uma oficina!) e levando cartazes, além de aproveitarmos o momento para uma comemoraçãozinha (comidinhas, festinha com djs autônomos no conic, troca de materiais).

 

Dia 05 de Junho, a partir das 16h. Ed. Aracat, sala 111, Conic

 

Construindo as nossas estruturas, demolindo as estruturas deles,

 

Convergência de Grupos Autônomos

This entry was posted in Uncategorized. Bookmark the permalink.

Leave a Reply

Your email address will not be published.